Use lajes-cogumelo em estruturas de concreto Abaetetuba, Pará

O artigo ensina como usar lajes-cogumelo em estruturas de concreto. O autor também explica sobre a resintência à punção. Aprenda como lidar com esse material.

Pedro Paulo Rodrigues
(913) 751-1053
r BR Rio Branco, 1298
Abaetetuba, Pará
 
Edinaldo Neri Pinheiro
(913) 751-1167
r 7 Setembro, 1710
Abaetetuba, Pará
 
Francisco Waldir Oliveira Silva
(913) 751-2250
tr José Joaquim da Silva Xavier, 3
Abaetetuba, Pará
 
Rosiclea Margalho Ferreira
(913) 751-2359
av Dom Pedro II, 592
Abaetetuba, Pará
 
Liconlar Mat Constr Ltda
(913) 771-1271
av 16 Novembro, 1275
Mosqueiro, Pará
 
Edith Costa Medeiros
(913) 751-2233
av Dom Pedro II, 1164
Abaetetuba, Pará
 
Eliseu Rodrigues Ferreira
(913) 751-1840
r 7 Setembro, 1610
Abaetetuba, Pará
 
Caetano Lima Nunes
(913) 751-2410
r Getulio Vargas, 1386
Abaetetuba, Pará
 
Jahir Seixas Gonçalves
(943) 787-1388
av Veridiano Cardoso, 160, Goes Calmont, Tucuruí
Tucurui, Pará
 
Jerônimo Brito Quaresma
(91) 224-8342
r Doutor Assis, 461, Cidade Velha, Belém
Belem, Pará
 

Use lajes-cogumelo em estruturas de concreto

1 – INTRODUÇÃO

1.1 – ASPECTOS GERAIS

A utilização de lajes-cogumelo em estruturas de concreto tornou-se habitual nos últimos anos devido à simplicidade, economia de tempo, execução e custos, assim comoà flexibilidade de utilização dos espaços construídos.

Entre as possíveis vantagens desse tipo de estrutura podem-se citar:

- A ausência de vigas proporciona a diminuição dos recortes, ocasionando maior agilidade no processo construtivo e redução de custo;
- Maior simplicidade no arranjo das armaduras de flexão e, conseqüentemente, maior facilidade de execução, possibilitando também o uso de telas soldadas;
- Redução da possibilidade de ocorrência de falhas devido à maior facilidade no lançamento, adensamento e desforma do concreto;
- Redução da altura total do edifício, possibilitando aumentar o número de pavimentos.

Com base nos resultados disponíveis na literatura, quando comparadas às lajes usuais, apoiadas em vigas, as lajes-cogumelo podem apresentar maiores deslocamentos verticais para um mesmo vão. Torna-se necessário, então, um aumento na espessura da laje cogumelo para que o valor da flecha seja o mesmo de uma laje convencional. A estabilidade global da estrutura pode diminuir, devido à ausência de vigas, sendo necessário vincular a laje a núcleos rígidos ou paredes estruturais.

Na região de ligação laje e pilar em lajes-cogumelo, verificam-se elevadas tensões originadas pelos esforços de flexão e de cisalhamento, que podem provocar ruptura por punção da laje, com uma carga inferior à de flexão. A ruptura por punção pode ocorrer sem nenhum aviso prévio e de forma frágil.

A resistência à punção é um fator importante no dimensionamento desse tipo de laje, sendo freqüentemente um fator condicionante para a definição da espessura da laje, da geometria dos pilares, da resistência à compressão do concreto, do uso de capitel ou do uso de
armadura de cisalhamento.

A resistência à punção de lajes-cogumelo sem armadura transversal, segundo várias normas (ACI-318 (2005), CEB-FIP MODEL CODE (1991), EUROCODE 2 (2004) e 2 NBR 6118 (2003)) é avaliada a partir da tensão nominal de cisalhamento em uma dada
superfície de controle, que deve ser menor ou igual a uma tensão limite calculada em função da resistência característica do concreto à compressão, e outros parâmetros como geometria do pilar, taxa de armadura de flexão e espessura da laje.

Nas lajes-cogumelo com de armadura de cisalhamento, a avaliação da resistência à punção é feita somando-se a parcela resistente da armadura transversal à do concreto.

Faça o download completo desta dissertação para continuar lendo.

Clique aqui para ler este artigo na WebArtigos.com