Termorregulação Corporal Balneário Camboriú, Santa Catarina

As atividades físicas realizadas ao ar puro como as corridas são excelentes estratégias para a realização de esportes deixando o sedentarismo de lado. A corrida ao ar livre e uma boa tecnica, mas deve-se observar a temperatura do corpo. Veja dicas no artigo abaixo.

Force Fitness Ltda Me
(48) 3344-8194
R Valentim Camilo Garcia 112
Palhoça, Santa Catarina
 
Academia Garra
(48) 3234-3166
r João Pio Duarte Silva, 978, Córrego Grande
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Studio Essencialquimia
(48) 8463-6081
Rod Joao Gualberto Soares, 789 - Ingleses
Florianopolis, Santa Catarina
 
Academia Atlântica
(48) 3240-4010
r Aleixo Alves de Souza, 522, Jardim Atlântico
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Academia Corpo Em Ação
(48) 3284-1955
av Luiz Boiteux Piazza, 6198, Ponta Das Canas
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Academia Benatto Squash Center
(48) 3335-6044
Rodovia SC 401, 3415, km 4,João Paulo
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Academia Corpo Santo
(48) 3733-8502
Etr Intd João Nunes Vieira, 1457, Ingleses
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Estúdio Rogério Muller Personal & Pilates
47-3370.9175 e 47-9186.2544
Rua Guilherme Hass 330 - Jaraguá Esquerdo
Jaraguá do Sul, Santa Catarina
 
Fernanda Schmitz-Estética & Pilates
(47) 4105-0588
rua almirante barroso 700
itajai, Santa Catarina
 
FLORIPA RUNNERS ASSESSORIA ESPORTIVA
(48) 9948-9393
PARQUE DE COQUEIROS E TRAPICHE DA BEIRA MAR NORTE
FLORIANOPOLIS, Santa Catarina
 
Dados Divulgados por

Termorregulação Corporal

TERMORREGULAÇÃO CORPORAL

Charallo,M.

Universidade de Ribeirão Preto – Unaerp

Curso de Educação Física

Palavras-Chave : Termorregulação Corporal; Corridas; Hidratação.

1 INTRODUÇÃO

As atividades físicas realizadas ao ar puro como as corridas são excelentes estratégias para a realização de esportes deixando o sedentarismo de lado, mas com isso, não podemos deixar de nos preocupar com a temperatura corporal, principalmente se os lugares escolhidos forem lugares muito quentes e úmidos, por isso, temos que ter uma hidratação regular durante a prática de atividades físicas mais precisamente as corridas.

“A descrição da técnica das corridas, deve ser a consideração de que a boa técnica de correr é a manifestação dos movimentos naturais do ser humano, quando pretende deslocar–se com mais velocidade e por isso, deixa de andar a passa a correr.” (BARROS e DEZEM, 1978).

“A manutenção da temperatura corpórea, diante de alterações da temperatura ambiente, é fundamental para o funcionamento do organismo e sua sobrevivência.” (FOLADOR e FERNANDES, 2005).

“Perda hídrica pela sudorese induzida pelo exercício, especialmente realizado em ambientes quentes, pode levar à desidratação, pode alterar o equilíbrio hidroeletrolítico, dificultar a termorregulação e, assim, representar um risco para a saúde e/ou provocar uma diminuição no desempenho esportivo.” (MACHADO-MOREIRA et al, 2006).

2 OBJETIVO

Analisar a termorregulação corporal dos praticantes de corridas com a hidratação.

3 METODOLOGIA

A amostra foi composta por dez indivíduos do sexo masculino com média de idade de 25,4 ± 4,65 anos, todos os estudantes do curso Educação Física da Universidade de Ribeirão Preto - UNAERP. O teste apresentou dois protocolos adaptados do teste de Bruce (1984) em esteiras rolantes, um de aferição da temperatura cutânea com a ingestão de 50 ml de água e com trinta minutos de esforço a 8 km de velocidade na esteira rolante. Utilizou-se um termômetro da marca Incoterm do modelo digital e uma esteira da marca Movement Technology do modelo LX 160. Foram aferidas as temperaturas cutâneas dos indivíduos antes do inicio da atividade e de cinco em cinco minutos as aferições eram repetidas junto à ingestão de 50 ml de água. As aferições foram aos cinco minutos de atividade, aos dez, aos quinze, aos vinte, aos vinte e cinco, aos trinta, e após cinco minutos do término da atividade. No teste sem a ingestão de água, aplicou-se o mesmo protocolo de aferição de temperatura cutânea e de velocidade da esteira. Os dados coletados foram submetidos ao teste t – student P < 0,05.

4 RESULTADOS E DISCUSSÃO

Os resultados obtidos no teste para a averiguação da temperatura corporal ou termorregulação pelos indivíduos que o realizaram, apresentaram diferenças significativas entre os grupos. O grupo sem a ingestão de água apresentou uma média superior significativa comparado ao grupo que ingeriu água. Isso pode ter ocorrido por diversos fatores como, por exemplo, nível de condicionamento físico dos indivíduos, alimentação dos mesmos, horas de sono ou descanso, nos dias da realização dos testes a baixa umidade relativa do ar, a baixa temperatura ambiente, roupas inadequadas que dificultam a troca de calor com o ambiente e o fator principal, a não ingestão de água. Outros autores como (ARAÚJO, 1984; FOXTER, 1983; PINI, 1983; McARDLE, 1998) que já realizaram esses tipos de pesquisa, em seus resultados, também apresentaram diferenças significativas, entretanto, os testes são mais rigorosos ao nível de intensidade. O tempo de execução dos testes já realizados pelos mesmos autores citados anteriormente, são maiores do que o tempo realizado no teste apresentado. Também é preciso ressaltar que essas pesquisas são realizadas com equipamentos apropriados a esses tipos de teste, entretanto foram realizados os mesmos procedimentos.

5 CONCLUSÃO

Conclui–se que a ingestão de água proporciona uma otimização do controle da temperatura corporal durante a prática de exercícios físicos, entretanto, devem-se levar em consideração alguns fatores que podem interferir diretamente nos resultados obtidos, como nível de condicionamento físico dos indivíduos, alimentação dos mesmos, horas de sono ou descanso, nos dias da realização dos testes a baixa umidade relativa do ar, a baixa temperatura ambiente, roupas inadequadas que dificultam a troca de calor com o ambiente e o fator principal, a não ingestão de água.

6 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Barros, N. Dezem, R. O Atletismo. 1ª edição. cap. 1. p. 31 – 33. Brasil. Editora A Gazeta Maçônica. 1978.

Fernandes, A. C. Ribeiro, D. M. Hidratação. Ano 2004. Disponível em www.enut.ufop.br. Acessado em 18/11/2007.

Fontana, K. E. UnB/FEF/Fisiologia do Exercício 2. Disponível em http://www.unb.br/fef/downloads/keila/metotes.doc. Acessado em 26/05/2008.

Machado - Moreira, Christiano Antônio, Vimiero - Gomes, Ana Carolina, Silami Garcia, Émerson et al. Hidratação durante o exercício : a sede é suficiente ? Rev. Bras. Med. Esporte, nov. / dez. 2006, vol. 12, no. 6, p. 405 - 409. Ano 2006. Disponível em www.scielo.br/scielo. Acessado em 27/10/2007.

Marcelo Charallo

Outros link´s :

http://www.webartigos.com/articles/12811/1/termorregulacao-corporal/pagina1.html

http://artigocientifico.uol.com.br/artigos/?mnu=1&smnu=5&artigo=2511

Clique aqui para ler este artigo na Artigonal.Com