Gerenciamento Ambiental Fortaleza, Ceará

O gerenciamento ambiental deve buscar educar, treinar e motivar os empregados. Meio ambiente e responsabilidade de todos. Leia mais sobre gerenciamento ambiental no artigo abaixo.

Assoc Maria Mãe da Vida
(85) 283-2879
r Frei Serafim, 80, Parangaba
Fortaleza, Ceará
 
Assoc Menor Tambem Constrol
(85) 269-1654
r 0009, 279, Mondubim
Fortaleza, Ceará
 
Fundo Cristão para Crianças Ccf
(85) 239-3449
r Euclides Onofre de Souza, 1200, Alagadico Novo
Fortaleza, Ceará
 
Assoc Menino Jesus de Praga
(85) 253-7005
r José Gomes de Moura, 91, sl 212, José Bonifacio
Fortaleza, Ceará
 
Assoc Beneficiente 25 de Setembro
(85) 226-5963
r Dom Manuel, 354, Passare
Fortaleza, Ceará
 
Comaspe Confed NAC de Assist Aos Ser Públicos
(85) 261-7298
tv Santos Dumont, 2626, an 2 sl 208, Alto Da Balança
Fortaleza, Ceará
 
SEARA Clube da Maturidade de Fortaleza
(85) 226-2087
r Solon Pinheiro, 1471, sl 4, Centro
Fortaleza, Ceará
 
Diaconia
(85) 231-5292
r Pedro Pereira, 460, sl 301, Centro
Fortaleza, Ceará
 
AL Anon Serv de Informações
(85) 221-2639
vl Assunção, 117, sl 7, Henrique Jorge
Fortaleza, Ceará
 
Acace
(85) 290-3188
bc Alegre, 932, Democrito Rocha
Fortaleza, Ceará
 

Gerenciamento Ambiental

Tudo que é praticado pelo Homem no mundo moderno, não pode prescindir de compromissos com o meio ambiente.

Hoje, as grandes empresas industriais dos países ditos adiantados, inclusive quando desenvolvem atividades em outros países, procuram zelar pelo seu bom nome, adotando, como princípio inabalável, o compromisso total com a questão ambiental, da mesma forma com que fazem com a qualidade. A regra é praticamente geral. Há como uma imposição que elas, cada vez mais têm que buscar a excelência no trato da questão ambiental, pois disso, com certeza, dependerá de suas sobrevivências no mercado.

No Brasil, a regra ainda não vale tanto, visto que muitos ainda não alcançaram a percepção da necessidade de cuidar do meio ambiente, principalmente devido aos custos inerentes e também porque, a consciência ecológica tem custado um pouco mais de tempo para ser adquirida.

Vez por outra, iniciativas interessantes à preservação são adotadas, mas, estranhamente, da mesma forma com que aparecem, somem repentinamente de cena, evidenciando que surgiram no meio do caminho novas prioridades, ou mesmo que a espontaneidade da iniciativa não era tão sincera ou que simplesmente visava o cumprimento de uma cobrança de um órgão fiscalizador.

Evidente é que, isso não ocorreria se houvesse um absoluto envolvimento na empresa, da sua direção e de seus empregados, concordando, todos, com as leis e regulamentos e evitando posturas defensivas que só conduzem às discussões desgastantes e inócuas.

As atividades produtivas deveriam, entre outros aspectos, ser baseadas em posturas pró- ativas, visando à preservação ambiental, buscando-se todos os meios possíveis para não esconder a verdade dos fatos e atacando-se realmente, de frente, os problemas, à medida que forem surgindo.

As novas atividades, mesmo que em empresas já em funcionamento, devem ser previamente, antes de implantadas, enxergadas do ponto de vista dos impactos no meio ambiente que poderão vir a causar e se não podem ser evitadas suas implantações ou modificadas as tecnologias, deve-se ter em mente todas as medidas mitigadoras a adotar; isso se refere também aos produtos, seus resíduos após o uso e aos serviços, estimando-se todos os malefícios que serão causados.

A clientela, o público consumidor, o público vizinho e os distribuidores devem estar cientes sobre a segurança no uso do produto final, no seu transporte e na disposição dos resíduos gerados na produção e os resultantes ao fim da vida útil dos produtos, incluindo-se, aí, suas embalagens.

O gerenciamento ambiental é a ferramenta básica para alcançar os objetivos citados e tem que ser considerado como uma prioridade corporativa, pelo estabelecimento de políticas com programas e práticas que visem conduzir as atividades empresariais de uma maneira ambientalmente sadia.

Tais políticas com seus programas e práticas devem, por sua vez, se integrar totalmente em todas as atividades, mesmo que aparentemente nada relacionadas à produção propriamente dita.

O gerenciamento ambiental deve buscar educar, treinar e motivar os empregados, tendo como alvo a melhoria continua do desempenho ambiental e ainda:

Os critérios devem, sempre que possível, ser copiados de experiências nacionais e internacionais bem sucedidas. Internamente, a indústria deve prover meios de economizar matérias primas e energia.

Cremos que, pelo exposto, a coisa não é tão complicada. A questão é só começar, mesmo que passo a passo.

Glidiz, Leonardo Willians

Pesquisador e Empresário

Clique aqui para ler este artigo na Artigonal.Com