Escolha entre polir ou encerar o carro Sinop, Mato Grosso

O autor descreve qual é a melhor opção para manter o carro com aparência de novo. Ele explica as diferenças entre polir e encerar. Analise qual método é o mais indicado para o seu veículo.

Jet Car Lava Jato
(65) 321-0775
av Carmindo de Campos, 1928, Jardim Petrópolis
Cuiabá, Mato Grosso
 
Janary L Souza
(65) 336-1551
r Maringá, 1
Diamantino, Mato Grosso
 
Lava Jato Arruda
(65) 685-3959
r Coronel Manoel Gomes, Cristo Rei
Várzea Grande, Mato Grosso
 
Lava Jato João
(65) 624-0856
r Maraia, 200, Santo Antônio Do Pedregal
Cuiabá, Mato Grosso
 
Leticia F Silva
(65) 637-3472
av Miguel Sutil, 12180, Cidade Verde
Cuiabá, Mato Grosso
 
Uirapuru Lava Jato
(65) 642-4631
r Professora Tereza Lobo, 99, Senhor Dos Passos
Cuiabá, Mato Grosso
 
Luís AC Faria
(65) 223-3093
r CEL José Dulce, 432, Cáceres
Caceres, Mato Grosso
 
Valdenor Ascari
(65) 336-1925
av Munic SN
Diamantino, Mato Grosso
 
Naianderson G Rocha
(65) 682-4948
r São Francisco de Assis, 332, Centro
Várzea Grande, Mato Grosso
 
Maria FC Vasconcelos
(66) 461-1385
av Antônio Ferreira Sobr, 1758
Jaciara, Mato Grosso
 

Escolha entre polir ou encerar o carro

  POLIMENTO OU ENCERAMENTO NO CARRO?

Quando um carro sai de fábrica, sua chapa  é protegida por uma brilhante e dura camada de tinta que tem algo entre 60 e 80 mícron de espessura.

Esta camada é normalmente dividida em cerca de 20 mícron para o "primmer" que é a base da tinta e que permite a adesão da tinta à chapa de aço, e cerca de 40 mícron para a tinta propriamente dita. No caso de tintas metálicas e perolizadas existe ainda uma última camada de verniz incolor. Esta fina camada de menos de 1 décimo de milímetro dá ao carro a aparência brilhante que esperamos ver, e ainda protege o aço contra a corrosão.

A tinta brilha, pois é,  lisa e sem irregularidades.

DESGASTE:

Ao deixar a fábrica a pintura começa a receber o ataque de poluição, raios infravermelhos e ultravioleta, panos e escovas de lava rápidos, detergentes, etc. O resultado disso é que, com o tempo, a pintura lisa e brilhante vai ficando com pequenas irregularidades, comprometendo a reflexão da luz, e com isso o brilho.

POLIMENTO:

O que normalmente se faz para devolver o brilho à pintura do carro, é

através do uso de polidores, remover uma pequena camada de tinta, de modo a devolver à pintura a aparência lisa.

 O grande problema desta operação, é que os polidores são abrasivos, isto é, são substâncias muito duras, geralmente óxidos metálicos, capazes de arrancar, por atrito, partículas da tinta.

Este processo de abrasão pode ser intensificado ainda mais pelo uso de máquinas politrizes.

Ao final do processo de polimento uma pequena camada de tinta foi removida, devolvendo à camada externa a aparência original e brilhante. Fica claro que este é um processo limitado e que somente deve ser usado nos casos mais graves.

CERA  ALTERNATIVA MAIS COMUM: 

 Uma outra alternativa muito usual é o uso de ceras para a cobertura da camada pintada. Existem no mercado ceras aditivadas com polímeros sintéticos que aumentam de forma considerável a vida útil da pintura.

A finalidade da cera é preencher as irregularidades criadas sobre a superfície pintada pela ação do tempo, reproduzindo o brilho da tinta nova.

  Ao contrário do polimento, a  cera  não  remove a  tinta por  abrasão, por  produzir um filme sobre a tinta, protege-a dos ataques. 

Além disso, existem no mercado os chamados cristalizadores. Enquanto o termo cristalização é usado de forma absolutamente aleatória no mercado, significando desde um mero polimento até a aplicação de agentes "cristalizadores", a cristalização propriamente dita é a aplicação de compostos, tipo teflon e/ou silicone que apenas protegem a pintura e outros que reagem com a pintura, geralmente a base de flúor, e que formam um filme duro sobre a camada pintada.

 Não é recomendado o uso deste último, pois esta camada dura pode trincar dando a aparência de pele de crocodilo à pintura, sendo a sua remoção bastante difícil.

O ideal é encerar o carro assim que retirá-lo da revenda, garantindo desta forma a proteção da pintura original, e novamente encerá-lo cada vez que ao jogarmos água sobre a pintura não pudermos observar as "bolinhas" de água características da cera.

Uma pintura permanentemente mantida, protegida com cera dificilmente exigirá polimento. Caso o seu carro já tenha perdido o brilho, deve-se providenciar um polimento com o abrasivo - massa de polir, mais fina possível, providenciando uma boa encerada após o polimento.

A partir deste ponto fazer como na pintura nova, mantendo o enceramento regular para evitar a necessidade de novo polimento.

QUAL CERA USAR?

A resina Microlite é a última geração dos produtos não abrasivos comumente denominadas ceras, que não tiram nenhuma camada de tinta do carro.

A resina Microlite não é solúvel em água, deixando uma película flexível sobre a pintura, protegendo-a dos raios ultra-violeta,dos dejetos de pássaros, da maresia e do sereno e das marcas de flores que caem sobre o carro. Por não ser solúvel em água, esse enceramento não sai com a chuva ou a lavagem, durando muito mais do que qualquer outra cera disponível no mercado.

Marinho Guzman

Advogado,jornalista e publicitário dedica-se a desenvolver informações publicitárias e rotinas de Marketing para várias empresas.

Mais informações da Resina Microlite no sitewww.microlitebrasil.com.br

Nosso e-mailfalecomodono@hotmail.com   telefone (13) 7807-6981

ID Nextel  24∗52727

Clique aqui para ler este artigo na Artigonal.Com