Comunicação: A Ponte para o Sucesso Abaetetuba, Pará

Por acaso, em algum momento da sua vida você já parou para pensar a respeito da importância de uma ponte? Diante de um rio, de um vale, a transposição entre os dois lados é facilmente realizada através de uma ponte. Leia mais no artigo abaixo.

Bergson Marques - Coaching & Psicanalise
(91) 3721-6192 ou (91) 8253-2521
Travessa Quintino Bocaiúva, 2821, 2º andar, sala 202 - Centro
Castanhal, Pará
 
MNEWCOM BUREAU DESIGN
(91) 3711-3145
RUA MARECHAL DEODORO, 461 - IANETAMA
CASTANHAL, Pará
 
Amazônia360 Comunicação
(91) 3230-5144
Av. Braz de Aguiar, 491 Al. Rita Medrado 2B
Belém, Pará
 
Bastos Propaganda Ltda
(91) 3244-0600
av Pedro Miranda, 1559, Pedreira
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Midia Solution
(091) 3279-3005
Conj. Médice II - Rua Portel, 234
Belém, Pará
 
Márcio Quadros Marques
(091) 3279-3005
Conj. Médice II - Rua Portel, 234
Belém, Pará
 
Borges Publicidade Ltda
(91) 3241-3860
r João Diogo, 516, Campina
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Fax Comunicação Ltda
(91) 3241-1532
r Domingos Marreiros, 710, Umarizal
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Ivo Amaral Publicidade Ltda
(91) 3212-7363
tr Eutíquio,Pe, 2050, Batista Campos
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Dahas Comunicacao & Marketing Ltda
(91) 3241-1333
r Manoel Barata,Sen, 1555, Reduto
Belém, Pará

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Comunicação: A Ponte para o Sucesso

Autor: Reinaldo Passadori

A idéia de “ponte” me fascina.

Por acaso, em algum momento da sua vida você já parou para pensar a respeito da importância de uma ponte?

Diante de um rio, de um vale, a transposição entre os dois lados é facilmente realizada através de uma ponte.

Já imaginou aqui em São Paulo, se não tivéssemos sobre os rios Pinheiros e Tietê, as pontes do Socorro, Morumbi, Euzébio Matozo, a Ponte das Bandeiras, a Cruzeiro do Sul ou a da Casa Verde? São Paulo não seria o que é se não fossem essas pontes. Há pontes sobre vales, riachos, córregos, rios e braços de mar. Também há vários tipos, tamanhos, formatos e estilos de pontes, além de inúmeros materiais com as quais são fabricadas: madeira, aço, concreto, cordas ou uma simples pinguela. Há pontes famosas, como as que ligam o Rio a Niterói ou Golden Gates, entre tantas outras em inúmeros países e rios importantes.

Ponte, mais do que uma estrutura de concreto que une os dois lados e permite a passagem de pedestres ou veículos, tem sentido mais apurado: representa união, aproximação, elo, ligação, junção, contato, relacionamento, laço, vínculo, convívio.

A ponte é um símbolo de passagem, de transposição de um lugar para outro, de um tempo para outro, de um estado (físico, emocional ou intelectual) para outro. Assim, podemos dizer que:

- o presente é uma ponte entre o passado e o futuro;
- o hoje é uma ponte entre o ontem e o amanhã;
- a mãe é uma ponte para a vida;
- o médico é uma ponte para a saúde e o bem estar;
- o professor é uma ponte para o conhecimento;
- o mestre é uma ponte para a sabedoria;
- o soldado é uma ponte para a liberdade;
- o advogado é uma ponte para a justiça;
- a consciência é uma ponte para o reconhecimento da vida;
- a religião é uma ponte para a espiritualidade;
- o coração é uma ponte para o amor;
- a inteligência é uma ponte para o desenvolvimento;
- os órgãos dos sentidos são ponte para as sensações;
- o medo é uma ponte para a coragem;
- o olhar é a ponte para o relacionamento.

Mais do que atravessar pontes muitas vezes é necessário um esforço ainda maior, impulsionado pela coragem e determinação ao se perseguir um objetivo ou um sonho, que é o de destruir pontes após tê-las atravessado.

Muitos durante a empreitada desistem diante de qualquer obstáculo e voltam correndo pela mesma ponte que atravessaram.

Massaharu Tanigushi, um líder religioso, disse certa vez que ao tomarmos a decisão de realizar alguma coisa, é fundamental queimar a ponte após tê-la atravessado e que devemos seguir sempre em frente, com a firme convicção de que venceremos infalivelmente. “Ninguém poderá exteriorizar plenamente a sua força se, ao iniciar um empreendimento, deixar preparado um caminho para a fuga, para o caso de encontrar algum obstáculo”, ele disse.

É o mesmo princípio adotado por Júlio Cesar, quando desembarcou na costa britânica com o seu exército invasor, que mandou queimar todos os seus navios, navios que tinham prestado um grande trabalho transportando o seu exército através do estreito e que, no caso de derrota, seriam indispensáveis para a fuga.

É também o que diz Vladimir Maiakowski, um grande poeta russo, em um de seus mais belos poemas: “Só é verdadeiro revolucionário aquele que queima as pontes da retirada”.

A idéia que é simbolizada pela ponte é sedutora, principalmente porque nos impele a refletir sobre o nosso próprio papel de ponte.

Através do nosso trabalho, somos ponte para a nossa realização e o bem-estar da nossa família, além do crescimento da nossa empresa que, por sua vez participa de um contexto ecológico e social.

Através das nossas ações, somos ponte para a construção de um mundo melhor (ou pior), dependendo da ponte que optamos atravessar.

A nossa comunicação é a ponte preciosa e que precisa ser cuidada, pois através dela nós mostramos que existimos, que pensamos, quem somos, nossa competência, inteligência e nossos sentimentos.

O que proponho é que cada um procure conscientizar-se do seu papel de ponte ou do seu papel de tábua de uma ponte, através da qual, outras pessoas poderão ter uma vida melhor. Construa pontes, destrua alguma quando necessário, e lembre-se da sua comunicação, a ponte que ampliará as suas possibilidades para uma vida plena de realizações (e de prazeres) pessoais e profissionais.

Fonte: http://www.descubrapnl.com

Clique aqui para ler este artigo na Sua Mente