Como reduzir seu stress Balneário Camboriú, Santa Catarina

Responda ao teste que identifica alguns sintomas do stress. A autora relata quais são os fatores de risco que desencadeiam o stress. Confira detalhes dessa doença.

Daniela Longhi de Castro
(47) 3366-0334
Avenida Alvin Bauer 810 - 1° Andar
Balneario Camboriu, Santa Catarina
Especialidade
Medicina de Família e Comunidade

Dados Divulgados por
Gama Diagnostico e Tratamento
(49) 3329-5861
Barao do Rio Branco 370 - e Sala 103
Chapeco, Santa Catarina
Especialidade
Medicina Nuclear

Dados Divulgados por
Luiz Henrique Silva
3223-1122
Rua Luiz Delfino 86
Florianopolis, Santa Catarina
Especialidade
Medicina Nuclear

Dados Divulgados por
Amandio Rampinelli
3222-6541
Rua Felipe Schmidt 390 - 910
Florianopolis, Santa Catarina
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Claudio Bernardo H Pereira e Oliveira
322-3767
Av Rio Branco 380 - 602
Florianopolis, Santa Catarina
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Glauber Mathias
(47) 3349-3892
Rua Dr. Reinaldo Schmithausen 1178 (sl 11)
Itajai, Santa Catarina
Especialidade
Cirurgia Cranio-Maxilo-Facial

Dados Divulgados por
Mariuccia Grace Scott Brusa
3224-1888
Rua Dom Jaime Camara 77 - 601
Florianopolis, Santa Catarina
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Irene Vieira Souza
322-4188
Rua Dom Jaime Camara 77 - 601
Florianopolis, Santa Catarina
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Jose Roberto Carvalho Diener
3221-7500
Rua Menino Deus 376
Florianopolis, Santa Catarina
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Walter Francisco da Silva Filho
3228-2880
Rua Silva Jardim 349
Florianopolis, Santa Catarina
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Como reduzir seu stress

I - O QUE É “STRESS”

Você sabia que “stress” é o nome que se dá a uma reação do organismo quando nós nos vemos frente a determinadas situações?

Essas situações podem ser entre outras: viagens, perdas, mudanças na situação econômica, mudanças na vida social ou profissional, dificuldades nos estudos e nas relações com os outros.

Enfim, como se pode ver, toda vez que você se preocupa, tem medo, ou se sente muito feliz com uma situação ou evento seu organismo inicia uma reação que é a reação de “stress”. Essa reação envolve o hipotálamo (no cérebro), glândulas (hipófise, tiróide), órgãos (coração, fígado, estômago) e os músculos, entre outros.

Esse processo provoca alterações podendo inclusive desencadear doenças ou agravar as já existentes.

Algumas doenças cujo aparecimento ou agravamentos os cientistas associam com o “stress” são: hipertensão, úlcera, psoríase, infecções, dores lombares e outras. Além das doenças podem ainda ocorrer mudanças comportamentais, tias como: irritabilidade (falta de paciência, inquietação), emocionais (baixa da auto-estima, insegurança, perda do interesse, isolamento) e intelectuais (queda da memória, concentração, queda na produtividade).

Pessoas que vivem durante um significativo espaço de tempo com extrema ansiedade, podem vir a desenvolver essa patologia muito conhecida popularmente como estresse.

Do ponto de vista científico, o estresse é caracterizado como um conjunto de alterações físicas e químicas do organismo, desencadeado pelo cérebro, para tornar o indivíduo mais apto a enfrentar uma situação nova, que exige adaptação. Essa situação pode ser de perigo ou raiva, mas também de alegria e felicidade.

Vista desse ângulo, a ocorrência do estresse é até normal e saudável. Mas quando sua intensidade é muito forte, ou seja, sua freqüência alta demais, o organismo não resiste, enfraquece-se e pode entrar em colapso. É o que costuma chamar de “cronificação do estresse”.

Como reação de adaptação, o estresse é um fenômeno ancestral, tendo sido fundamental à sobrevivência do homem pré-histórico. Sempre que o homem primitivo se encontrava frente a um perigo, seu sistema límbico, ou seja, a parte do cérebro que controla as emoções, desencadeava uma série de reações, preparando-o para uma de duas respostas igualmente desesperadas: LUTAR OU FUGIR. E assim é até hoje.

Em nossa sociedade, onde estímulos, ao mesmo tempo que são reforçadores são punidores, o que acarreta o problema da ansiedade. As políticas neo-liberais que não dão garantia de futuro, geram estressores, nos indivíduos, ou seja, o indivíduo escolhe uma profissão (REFORÇO), mas não tem perspectiva (PUNIÇÃO).

Estímulos ambientais que indicam perigo ou ameaça desencadeiam uma série de reações, cognitivas, sensório perceptivas e neurovegetativas. A ansiedade tem um grande valor adaptativo já que confere ao indivíduo melhores condições para preservação junto ao meio físico e social em que vive.

Contudo, a ansiedade pode se tornar desproporcional ao perigo real assumindo um caráter patológico prejudicando certos desempenhos que são requeridos em nosso dia-a-dia, já que impossibilita um melhor uso da concentração e sangue frio, inibindo muitas vezes o processo de pensamento. Podendo mesmo, o indivíduo que dela sofre, tomar atitudes infantis.

O “stress” compromete a Qualidade de Vida das pessoas tornando-as menos produtivas, com maior predisposição a doenças, menor motivação para a vida social e afetiva. Pode ainda desencadear a ansiedade e a depressão.

Todos nós temos uma certa dose de estresse na vida. Nós entramos e saímos da Fase de Alerta (primeira fase da reação de estresse) a todo momento, o que não chega a ser prejudicial, porém, quando passamos para a Fase de Resistência, as coisas podem se complicar e, ainda mais, se você passa para a Fase de Exaustão, que é onde as doenças podem se desenvolver.

Em geral o estresse se manifesta em 3 fases distintas:

• A primeira, a chamada Reação Aguda ao Estresse, é desencadeada sempre que nosso cérebro, independentemente de nossa vontade, interpreta alguma situação como ameaçadora.

• A segunda, chamada Fase de Resistência, acontece quando a tensão se acumula, e sua principal característica é flutuação no nosso modo habitual de ser e maior facilidade para termos novas reações agudas.

• A terceira, chamada Fase de Exaustão, há uma queda acentuada de nossos mecanismos de defesa.

 

RESISTÊNCIA

 

EXAUSTÃO

 

Problemas c/ memória

Insônia

Gastrite

Mudanças de apetite

Nó no estômago

Úlcera

Aumento de sudorese

Vontade de fugir de tudo

Problemas de pele

Sensibilidade emotiva excessiva

Tensão muscular

Impossibilidade de trabalho

Angústia / Ansiedade

Taquicardia

Depressão

Hiperatividade

Agora que você sabe o que é “Stress” e quais os sintomas, responda as seguintes questões abaixo para saber se você está estressado e siga as orientações para melhor lidar com o “stress” do dia-a-dia.

Responda:

1. No último ano você enfrentou situações como: perdas, viagens longas, separações, mudança na vida familiar, social e profissional, ou problemas de saúde?

2. Você tem sensação de desgaste físico sem saber o motivo?

3. A sua produtividade diminuiu ultimamente?

4. Você sente vontade de se isolar e diminuir os seus contatos com as pessoas?

 

E SE O ESTRESSE CONTINUAR?

 

Na terceira fase do estresse, a resistência do organismo costuma estar bastante baixa e são comuns infecções repetitivas. Além disso, podem ocorrer as Doenças Psicossomáticas, como exemplificadas no quadro abaixo:

Exemplos de distúrbios psicossomáticos:

 

SISTEMAS

 

ENFERMIDADES

PELE

Eczemas, psoríase, urticária, acne

MÚSCULOS

Contração crônica, cefaléia tensional

CARDIOVASCULAR

Hipertensão arterial, arteriosclerose, infarto

RESPIRATÓRIO

Asma brônquica, dispnéia ansiosa

GASTROINTESTINAL

EMOCIONAL

Ansiedade, depressão e equivalentes

Mathias Gonzalez

Mathias Gonzalez, brasileiro e naturalizado australiano, autor de 132 livros dedicados à filosofia, psicologia e educação.
-> Psicólogo clínico, organizacional e escolar.
-> Pós-graduado em Psicopedagogia.
-> Especialista em Educação a Distânci.
-> Mestre em Gerontologia;
-> Mestre em Tecnologia de Comunicação e Informação.

Clique aqui para ler este artigo na Artigonal.Com