Cczs e o amparo legal aos animais João Pessoa, Paraíba

O autor condena a matança de animais nos Centros de Controle de Zoonoses. Ele também protesta sobre o uso da substância intravenosa de barbitúrico no extermínio deles. Confira as propostas de programas de adoção, vacinação e outras sugestões do autor.

Sindicato Nacional Trab Inst Pesq Agropecuária
(83) 3222-5709
r Eurípedes Tavares, 210 Centro
Joao Pessoa, Paraíba

Dados Divulgados por
M.a.f. Veterinarios Ltda
(83) 3244-2743
av Júlia Freire, 1130, Torre
Joao Pessoa, Paraíba

Dados Divulgados por
Mendonca & Monteiro Ltda
(83) 3247-7650
av Navegantes,N S, 940, Tambaú
Joao Pessoa, Paraíba

Dados Divulgados por
Federação Coop Prod Agropecuária Paraíba Ltda
(83) 3241-4309
av Coremas, 498 Centro
Joao Pessoa, Paraíba

Dados Divulgados por
Josinete Silva de Melo
(83) 3238-5151
r Rita Pereira da Silva, 191, Mangabeira
Joao Pessoa, Paraíba

Dados Divulgados por
Olho Dágua Agropecuária S/a
(83) 3221-4839
Parque Sólon Lucena, 671 Centro
Joao Pessoa, Paraíba

Dados Divulgados por
Cipo Agro Pecuaria Sa Capesa
(83) 3224-3510
av Paulo,S, 1100, Estados
Joao Pessoa, Paraíba

Dados Divulgados por
Emepa-empresa Est Pesquisa Agropecuária Paraíba S/a
(83) 3218-5501
r Eurípedes Tavares, 210 Centro
Joao Pessoa, Paraíba

Dados Divulgados por
Canorte Agropecuária
(83) 3221-5207
Parque Sólon Lucena, 671 Centro
Joao Pessoa, Paraíba

Dados Divulgados por
Sinpaf Sindicato Trab Pesquisa Agropecuária
(83) 3222-5709
r Eurípedes Tavares, 210 Centro
Joao Pessoa, Paraíba

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Cczs e o amparo legal aos animais

Diáriamente muitos animais são sacrificados, geralmente de forma dolorosa, levando estes sêres indefesos a um grande sofrimento, sem que a população tome conhecimento, sob a responsabilidade das prefeituras brasileiras, através dos próprios órgãos municipais. Trata-se da ação dos Centros de Controle de Zoonoses(CCZs), vinculados às Secretarias Municipais de Saúde de diversas prefeituras do País, que matam indiscriminadamente cães e gatos saudáveis ou doentes.
    
O pretexto desta matança é o controle das zoonoses, que são as doenças transmitidas dos animais para o homem, como a temível raiva. A maioria dos Centros de Controle de Zoonoses não seguem à risca as diretrizes da Organização Mundial de Saúde(OMS), que afirma ser o melhor método para acabar com estas doenças, a castração em massa e o estímulo à posse responsável.
Além de não seguirem estas recomendações, os CCZs são acusados de alojarem de forma inadequada os animais, de alimentá-los mal, ou de não alimentá-los, no período que antecede a morte.

A eutanásia nos animais, tida como um método humanitário, oferece o mínimo de sofrimento, sendo praticada com uso do intravenoso de barbitúrico anestésico,que deprime o sistema nervoso central. Por ser mais dispendioso, é rejeitado pela maioria das prefeituras.

Em alguns casos ocorre, o encaminhamento de cães e gatos para o uso em laboratório nas universidades, conduzindo-os para uma morte lenta, em questionáveis metódos de vivissecção.

Numa visão moderna de proteção animal faz-se necessário cobrar das autoridades competentes a implantação da castração em massa ao invés de ficar mencionando que existem métodos alternativos melhores para efetuar o sacríficio, propondo que se deve esperar um período maior para que eles sejam mortos , sem ter como garantir condições de sobrevivencia dentro de um padrão aceitável de higiene e alimentação adequada. A hipótese de morte não se justifica em tempo algum, devemos defender uma condição de vida digna , dentro e fora dos CCZs.

Torna-se fundamental uma proposta realista , ou seja , um redirecionamento das finanças, onde serão contratados , um número expressivo de veterinários , dispostos a “arregaçarem” as mangas e esterilizar uma grande quantidade de cães e gatos , de maneira  gratuita, despertando o interesse de muitos donos responsáveis e carentes, em realizar esta cirurgia no seus animais. Afinal, não somos nós que lhe pagamos os salários? Não queremos ser coniventes e colaboradores destas mortes através de nossos impostos, queremos prevenção.

A meta a ser atingida deve ser que no futuro não existam mais animais abandonados, só assim provaremos que houve esforços e competência na busca da solução do problema. À partir do momento em que houver uma interação perfeita entre a conduta dos profissionais e o amparo legal através dos órgãos oficiais, os animais estarão protegidos

A verdadeira finalidade dos CCZ’s deve ser preventiva, através de projetos educativos, evitando a procriação descontrolada dos animais, desestimulando a comercialização indiscriminada de filhotes e  incentivando adoção de animais abandonados. A maioria dos cães sacrificados são entregues pelos  próprios donos, assim, podemos perceber que ainda não há estímulo da posse responsável.

As verbas governamentais, precisam também promover campanhas de vacinação, vermifugação e programa de educação nas escolas sobre o direito dos animais, atitudes como estas farão a diferença , representando um compromisso sério com a vida dos animais.

Clique aqui para ler este artigo na WebArtigos.com