As glândulas Salivares Ji-Paraná, Rondônia

No exame físico extra-bucal devemos observar eventuais aumentos uni ou bilaterais. A avaliação física do paciente pode revelar fatores sistêmicos que determinem ou compliquem a patologia da glândula salivar. Analize esse artigo, clique abaixo.

Sonia Marcia Passarelo Pereira - Me
(69) 221-9392
Rua Dom Pedro Ii 2697
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Medicina Física e Reabilitação

Dados Divulgados por
Rodrigo Moreira Campos
(69) 3535-4423
Campos & Campos Fisioterapia Rua Recife nº2100 Setor 03
Ariquemes, Rondônia
Especialidade
Medicina Física e Reabilitação

Dados Divulgados por
Vera Joana Becker
Paulo Leal 381 - Sala 106
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Medicina Física e Reabilitação

Dados Divulgados por
Regina Celia Mirandola Real
(69) 3535-3873
Rua 3 - 1914
Ariquemes, Rondônia
Especialidade
Medicina Física e Reabilitação

Dados Divulgados por
Aurita Cordeiro de Lucena
(69) 223-9173
Dom Pedro Ii 637 - 8º Andarsla 806
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Medicina Física e Reabilitação

Dados Divulgados por
Cornelio Lobak
(69) 421-1119
av Transcontinental, 1865
Ji-Paraná, Rondônia
 
Dados Divulgados por

As glândulas Salivares

Sialometria das glândulas salivares

Apesar de muitos estudos serem direcionados sobre possíveis alterações nas glândulas salivares maiores e menores, métodos semiotécnicos de avaliação funcional devem ser empregadas para determinar sua funcão diária, principalmente em indivíduos com redução da capacidade de formar saliva, como no caso de irradiações que pdem levar ao quadro de xerostomia e consequentemente cáries dentárias decorrentes de ambos fatores mencionados.

Através de breve revisão de literatura, o objetivo desse artigo é comentar sobre a atividade funcional e os métodos de semiologia no exame clínico das glândulas salivares seguindo uma seqüência intra e extra-bucal.

No exame físico extra-bucal devemos observar eventuais aumentos uni ou bilaterais, comprometimento de um ou mais pares de glândulas bem como a consistência do aumento. A palpação deve ser digito - palmar contra superfície rígida, devendo pressionar a glândula salivar de encontro a esta estrutura e intra-bucalmente, a ordenha é um recurso utilizado para observar a qualidade e quantidade de saliva em glândulas salivares maiores, sendo que a obstrução dos ductos pode ser visualizada através de sondagem segundo (BORAKS, 2001).

A avaliação física do paciente pode revelar fatores sistêmicos que determinem ou compliquem a patologia da glândula salivar, permitindo a localização exata da área anatômica e dos elementos anexos, como nódulos linfáticos entremeados na própria glândula que poderão estar comprometidos por drenagem de processos neoplásicos ou infecciosos em áreas vizinhas conforme (CASTRO 2000).

A saliva é um fluido de composição orgânica e inorgânica produzida e excretada diariamente pelas glândulas salivares maiores e menores na proporção de 1 a 1,5 litros por dia. A Sialometria é um recurso técnico que analisa a velocidade de fluxo salivar com o objetivo de quantificar o volume e o funcionamento fisiológico das glândulas salivares, observando estados patológicos que alterem a velocidade de salivação. Para a avaliação do fluxo salivar, são utilizados certos critérios baseando-se nos seguintes itens segundo (LIMA et. al, 2004):



  • ü Velocidade normal do fluxo salivar: 1--------3ml/ minuto.


  • ü Velocidade baixa do fluxo salivar: 0,7--------0,9ml/ minuto.


  • ü Velocidade do fluxo salivar muito baixa:helton miyoshi

    ∗Graduação em Odontologia UCCB
    ∗∗ex-monitor em Radiologia UCCB
    ∗∗∗ex- estagiário em Cirurgia bucomaxilofacial (H.M.C.Caricchio)
    ∗∗∗∗especialista em Estomatologia Bucal;
    ∗∗∗∗∗pós-graduação em Odontologia Hospitalar/ sub-área CTBMF

    contato:estomatologia_hel@yahoo.com.br

    Clique aqui para ler este artigo na Artigonal.Com