Animal, Vegetal ou Mineral? Os níveis lógicos Ji-Paraná, Rondônia

Quando há alguns anos eu comprei meu primeiro computador, veio junto um bonito jogo para crianças que se chamava “Animal, Vegetal ou Mineral?” Se você está começando a mergulhar na PNL, possivelmente uma das... Veja mais abaixo.

Joao Tarcisio M Spinelli
(69) 3221-9789
Quintino Bocaiuva 2132
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Instituto de Ortopedia e Traumatologia de Rondonia
(69) 3223-2055
r Paulo Leal, 381, Tr Hosp Prontocor, N S das Graças
Porto Velho, Rondônia

Dados Divulgados por
Fisiopilates - Clinica de Fisioterapia e Reabilitacao Ltda Me
(69) 3229-5606
r Pio XII, 1139, A, Pedrinhas
Porto Velho, Rondônia

Dados Divulgados por
Centro de Ortopedia Lima Ltda
(69) 3224-8235
r Júlio de Castilho, 149, Centro
Porto Velho, Rondônia

Dados Divulgados por
Leandro Debs Procopio
(69) 3026-6002
Av Carlos Gomes 2746
Porto Velho, Rondônia
 
Auriane Saldanha D. de Abreu
(69) 3229-0053
Rua Senador Alvaro Maia 1409
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Clinica Ela
(69) 3221-7844
r Joaquim Nabuco 2718 São Cristovão
Porto Velho, Rondônia

Dados Divulgados por
Clinica Otorrinolaringologia
(69) 3223-8335
r Paulo Leal 381 - 1 S 102 Centro
Porto Velho, Rondônia

Dados Divulgados por
Clinica de Gastroenterologia Cirurgica Dr: Mizel de Melo Pinto
(69) 3229-4979
r Afonso Pena, 50, Sl 8, Centro
Porto Velho, Rondônia

Dados Divulgados por
Clinica Maio
(69) 3226-1670
r Mane Garrincha 2900
Porto Velho, Rondônia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Animal, Vegetal ou Mineral? Os níveis lógicos

Por Ricardo Ros

Quando há alguns anos eu comprei meu primeiro computador, veio junto um bonito jogo para crianças que se chamava “Animal, Vegetal ou Mineral?” no qual o computador ia adivinhando do que se tratava, se de um animal, um vegetal ou um mineral. Se você está começando a mergulhar na PNL , possivelmente uma das maiores dificuldades que você vai encontrar é saber diferenciar entre CONTEUDO e FORMA.

Vou lhe dar algumas pistas.

No entanto, se você é um expert em PNL e não tem dificuldade em saber distinguir entre conteúdo e forma, quer dizer que é capaz de nadar no mar dos múltiplos níveis da comunicação, por isso te peço que, ao ler o que se segue abaixo, se situe em seu nível atual.

No jogo que comento, o computador te perguntava: “isso que estás pensando, é animal, vegetal ou mineral?” Se você respondia, por exemplo, animal, as opções do computador se centravam nesse reino e a pergunta seguinte que te fazia era em relação com algum outro aspecto dos animais. Por exemplo, ele podia te perguntar, “quantas patas tem…?”. Se você respondia que dois, as possibilidades iam se fechando. O computador ia pouco a pouco descartando as opções até ficar com uma só. E então ele adivinhava o animal que você estava pensando. Para o computador era algo muito fácil, já que simplesmente o que fazia era ir do geral ao particular dentro das distintas categorias previamente armazenadas em sua memória.

Para estabelecer rapport, a PNL ensina a modelar o mundo da outra pessoa, Se você quer criar e manter um rapport com outra pessoa é imprescindível que se situe em seu mesmo tipo de categoria ou, pelo menos, em uma categoria mais geral que a sua e que, por tanto, a abranja. Mas quanto mais você se aproxime de seu nível particular e mais se afaste de um nível geral, mais perto estará de conseguir um rapport. Tua tarefa consiste, por tanto, em ir descartando possibilidade e ir centrando, o mais possível, em aspectos cada vez menores de seu mundo particular.

Quando alguém nos envia uma mensagem, ele o está fazendo desde um nível determinado de comunicação. Dependendo de que nível eu lhe responda, a comunicação variará a sua rota. Por exemplo, se alguém me diz “Estou aflito, preocupado” e eu lhe pergunto “exatamente com o que está aflito?” (estaria bem que repassando o meta-modelo, as nominalizações e os quantificadores universais), estou permitindo que baixe de nível, que concretize, que descarte possibilidades. Por que se eu lhe contesto “Há muita contaminação atmosférica”, o mais provável é que eu tenha me desviado para outro nível diferente e, como conseqüência, a comunicação não avança (Com exceção de que estivéssemos falando precisamente do tempo). Isto é muito importante sobre tudo em relação às pessoas que tendem a fazer generalizações.

Também serve no sentido contrario, ir do particular ao geral, por exemplo, com pessoas que se fazem críticas particulares, muito concretas ou detalhistas. Se alguém me diz “minha cara é horrível, meu nariz é espantoso, meus lábios são repugnantes…” se eu lhe digo “em que especificamente são repugnantes?”, creio que vou lhe ajudar um pouco, porque vou incentivá-lo a buscar mais aspectos negativos em sua cara. No entanto, se subo de nível em vez de descer, possivelmente sou conseguir um efeito mais positivo. Posso dizer por exemplo, “Como você sentira seus lábios quando gostar mais de você mesmo?”. Aqui estou subindo de nível e estou lhe abrindo outras possibilidades

Existe outra opção, nos mantermos na mesma categoria, e a podemos usar quando queremos identificar analogias, mas esse é um tema para outro artigo.

Tem que prestar atenção a tua forma de organizar a informação, saber se está utilizando níveis gerais, particulares ou laterais, Se é um bom comunicador, utilizara qualquer um deles dependendo de cada pessoa e de cada situação. Quando te dão níveis particulares, pense se será melhor devolver um conceito geral. Se te dão um conceito geral, talvez o adequado seja pedir exemplos específicos. Se utilizarem analogias, você pode utilizar um nível lateral e, por tanto, outra analogia. Mas, em qualquer caso, será bom que jogue com os níveis distintos. Porque afinal, em que esta pensando, elefante, limão ou prata?.

Tradução – Weber Felipe | www.suamente.com.br – Aprenda mais sobre sua mente!

Fonte: http://www.pnlnet.com/chasq/a/5

Clique aqui para ler este artigo na Sua Mente