Análise entre agressão ativa e passiva Chapecó, Santa Catarina

Algumas pessoas não sabem se comportar assertivamente, e resolvem seus problemas recorrendo a condutas agressivas. Há duas formas de agressividade: Ativa e Passiva. Veja mais no artigo abaixo.

divulge seu site agora
(47) 3429-2418
rua zeze moreira 193
joinville, Santa Catarina
 
Emphasy Publicidade & Propaganda Ltda Me
(48) 3028-2082
r Arnoldo Cândido Raulino, 173, Estreito
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Disk Fácil Listas telefônicas
(49) 3622-0700
Rua São Cristóvão, 464
São Miguel do Oeste, Santa Catarina
 
Chipset Informatica
(47) 3248-4131
antonio muller reis 55
itajai, Santa Catarina
 
MS Artes Graficas
(47) 9962-5034
Rua Luiz Lopes Gonzaga,1394 casa 2
Itajaí, Santa Catarina
 
Disk Fácil Listas telefônicas
(49) 3622-0700
Rua São Cristóvão, 464
São Miguel do Oeste, Santa Catarina
 
dilma
(47) 3438-3747
rua israel
araquari, Santa Catarina
 
Formato Comunicação Visual
(47) 3350-0616
www.formato.tk
Brusque, Santa Catarina
 
FRANGO ASSADO EM FRENTE AO CORPO DE BOMBEIROS
(48) 9623-0350
frente ao corpo de bombeiros
Criciuma, Santa Catarina
 
E A F Servicos de Propaganda e Publicidade
(48) 3241-4398
r Saldanha Marinho, 374, Sl 906, Centro
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Análise entre agressão ativa e passiva

Os MC são muito imaturos. Não sabem se comportar assertivamente, e resolvem seus problemas recorrendo a condutas agressivas.

Há duas formas de agressividade:

Ativa: empregam ameaça ou violência.

Passiva: Mediante sabotagem, ou a inibição e crítica/ameaça posterior.

Os manipuladores são pessoas imaturas. Não tem alcançado o desenvolvimento intelectual suficiente para resolver os problemas de uma forma criativa, não são capazes de sentir amor maduro por nada nem ninguém, e ainda que são muito capazes em amplas reuniões, tem um alto déficit de habilidade social básica para o desempenho cotidiano: A assertividade.

Uma Pessoa se comporta assertivamente quando define seus direitos de uma forma ativa, porém sem pisotear aos demais. Isto requer uma ascensão de responsabilidade pelo próprio bem estar, com tolerância e respeito pelos pontos de vista e metas dos demais, além de uma luta ativa para não ser pisoteado por quem não é assertivo.

Não vivemos em meio assertivo. Nossa sociedade se caracteriza por uma competitividade feroz em que se fala em direitos que não se respeitam.

Ser assertivo custa trabalho, e nem sempre se consegue que se flua como pensávamos. Para triunfar nessa sociedade é indiscutivelmente mais fácil ser agressivo.

As pessoas agressivas impõe seu ponto de vista, sua definição do problema, seus direitos ou a satisfação de suas necessidades, empregando estratégias que geram medo, culpa ou vergonha, pode ser de forma “relativamente” sutil através do enfado, mas também mediante violência física ou verbal. É uma estratégia muito efetiva, porém se é demasiada explícita pode se ver severamente castigado pela sociedade.

A agressividade pode se exercer de duas formas: Ativa ou Passiva. A Ativa é o que todo mundo entende por conduta violenta. Se caracteriza por uma atitude de pisoteio constante e sem escrúpulos em relação aos direitos de outras pessoas involucradas no problema. Aqui o fim justifica os meios e se pode recorrer a instrumentos como o taco de beisebol, também se pode fazer “com um sorriso nos lábios” como acontece nas relações empresariais. Se não há violência física, é bem tolerada pelo meio social.

A agressividade Passiva é muito mais difícil detectar. Tradicionalmente se considerou que se produzia em forma se sabotagem. Os trabalhadores passivo-agressivos eram aqueles que punham todo tipo de trava nas atividades da empresa. Há outra concepção, e é a seqüencial: Pessoas que se comportam primeiro passivamente, aparentando renunciar seus direitos, e que percebem que o resultado não é favorável, tratam de se comportar agressivamente. Empregam, primeiramente a estratégia de “passar”, e posteriormente ameaçam ou criticam.

Fonte: http://www.psicologia-online.com/colaboradores/jc_vicente/manipulacion2.htm

Clique aqui para ler este artigo na Sua Mente