Administração empresarial - Aprenda a alcançar o sucesso Arapiraca, Alagoas

O presente artigo convida o leitor a refletir sobre os impasses que inviabilizam o sucesso empresarial no processo de gestão de uma empresa. Questiona-se o porquê alguns empreendedores, demonstram ter dificuldades em gerir o desenvolvimento dos negócios. Veja mais no artigo abaixo.

José SV Cavalcante
(82) 521-5050
r São Francisco, 975, Centro
Arapiraca, Alagoas
 

Administração empresarial - Aprenda a alcançar o sucesso

Quando as pessoas planejam abrir seu próprio negócio, em sua grande maioria, por um determinado momento inspiram-se em seus sonhos, desejos, ambições, almejando tornar sua pequena empresa, em um lucrativo e prazeroso empreendimento.

Porém, de repente, o sonho transforma-se em pesadelo. A vontade de chegar ao topo torna-se um desafio cruel a ser combatido. O empresário depara-se com as diversas dificuldades pertinentes ao mercado econômico e empresarial, abrindo espaço para o esgotamento em substituição àquela vontade inicial de vencer.

Nesse momento, convido o leitor a refletir sobre o título deste artigo. Por que alguns empreendimentos não alcançam efetivamente o sucesso? É preciso considerar que em alguns casos, esses empreendimentos são comandados por pessoas capacitadas, que já possuem vasta experiência no ramo de trabalho e não conseguem obter sucesso em seus próprios projetos. Por quê?

A resposta para tais reflexões pode estar bem a nossa frente. Por vezes, aquele homem que iniciou sua empresa apostando no futuro, em atingir um grande público, desenvolvendo favoravelmente o capital investido, simplesmente desaparece, e entra em cena o homem que apenas tenta sobreviver no mercado atual para não fechar as portas da sua empresa e enfrentar o fracasso. Com isso, uma série de metas e planejamentos iniciais sofrem também uma readequação diante das dificuldades enfrentadas.

De fato, uma reestruturação na empresa será vital de acordo com o desenvolvimento dos negócios. No entanto, aquele homem viril, que sonhou, planejou e teve coragem de lançar-se no mercado, colocando em prática suas idéias, não deve dar-se por derrotado e virar as costas para seus ideais. Ao contrário, diante dos obstáculos é que deverá surgir a bravura, motivação e o espírito empreendedor.

Outra questão pertinente ao tema abordado é ressaltada por MICHAEL GERBER, em seu livro “O Mito do Empreendedor”. Segundo ele, 99%[1] das pessoas que abrem seu próprio negócio, trabalhavam anteriormente como empregado, desenvolvendo mão de obras técnicas em um setor especifico. Uma vez que sabem executar o serviço, enganam-se, crendo que tal fato é suficiente para administrar uma empresa, deparando-se com dezenas de pequenos problemas, que ao longo do tempo adquirem proporção, tornando o sonho empresarial cada vez mais complicado e exaustivo. Observa-se dessa maneira, que além de técnico, é preciso ser também gerente e empreendedor, surgindo mais conflitos.

O perfil de um empreendedor corresponde àquelas pessoas visionárias, criativas, que transformam possibilidades em probabilidades. Ele controla, delega, propõe mudanças e sonha com o futuro. Já o gerente, ordena o trabalho a ser executado, é pragmático, organizado, visualiza os problemas e busca resolvê-los. Por isso é preso ao passado, diferentemente do empreendedor que sempre enxerga oportunidades no futuro. Porém, um necessita do outro. O empreendedor para inovar e o gerente para ordenar. O técnico é aquele que executa, tira o sonho do empreendedor do papel e o coloca em ação, estando sempre no presente.

O grande impasse será encontrar um ponto de equilíbrio entre os três, já que apresentam características distintas e demandam trabalhos de ordens diferentes. Para GERBER, poucos são agraciados com esse equilíbrio. Ao contrário do que se pensa, o pequeno empresário é 10% empreendedor, 20% gerente e 70% técnico[2].

Compreende-se então que, para que o insucesso não se instaure em sua empresa, será vital estabelecer o que é necessário para seu negócio e não para si próprio. Se não está dando certo de um determinado modo, readeque-se, convoque a equipe, defina papéis, repense sobre os moldes iniciais e os atuais do seu comportamento, enfim, não se acomode diante dos obstáculos e apenas lamente diante das dificuldades.

É interessante reiterar que, o mercado atual gira de forma acelerada e é preciso estar atento às mudanças para que o caos não se instaure e você seja engolido por sua própria vaidade. O êxito de um empreendimento pode estar justamente em se auto-convocar para a batalha, rompendo fronteiras e fazendo valer o desejo de vitória. Portanto, procure a chave para o seu sucesso, ela existe, e pode estar mais perto do que você imagina.

∗Josemary Câmara Lemos, Psicóloga Associada ao Escritório Dalmar Pimenta Advogados Associados.

[1] GERBER, Michael E. O Mito do Empreendedor. 2ª Ed. São Paulo/SP: Editora Saraiva, 1990, p.16.

[2] GERBER, Michael E. O Mito do Empreendedor. 2ª Ed. São Paulo/SP: Editora Saraiva, 1990, p.25.

 

Josemary Camara Lemos

Psicológa, Graduada em 2004 pela Faculdade Newton Paiva em Belo Horizonte/MG. Associada ao Escritório Dalmar Pimenta Advogados.

Clique aqui para ler este artigo na Artigonal.Com