Administração de Empresas - Negociação Arapiraca, Alagoas

O artigo fala a respeito de como deve ser uma negociacao. A negociação inicia-se quando há diferenças entre as posições das partes. Veja mais no artigo abaixo.

Ernesto Pompilio
(133) 355-5544
r C Alves, 228
Guarujá, São Paulo
 
Julmar J Weber
(55) 433-7064
r 15 Novembro, 1657
Itaqui, Rio Grande do Sul
 
Ituana Corretora Seguros Ltda
(114) 023-0254
r Andrad, 809
Itu, São Paulo
 
Consult Cons Proj e Meio Ambiente Sc L
(65) 623-5656
r João Gomes M Sobr, 546
Cuiabá, Mato Grosso
 
Sabesp Companhia Saneamento Basico Estado Sao Pa
(123) 153-2404
r Sete Setembro, 84
Lorena, São Paulo
 
Projeta Consultoria Econômica Ltda
(212) 537-8569
pr de Botafogo, 440, an 8 , Botafogo
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
 
Caio A Travassos
(323) 231-3295
Graminha, 5
Juiz de Fora, Minas Gerais
 
Lavormed Assessoria em Saúde Ocupacional S/C Ltda
(114) 227-5002
r Martim Francisco, 320, Sta Paula
São Caetano do Sul, São Paulo
 
Niro Cons Empresariais
(273) 299-5787
av Antônio Gil Veloso, 240, ap 1004, Praia Da Costa
Vila Velha, Espírito Santo
 
Bovis Lend Lease Ltda
(113) 365-5900
av Nações Unidas, 12551, An 25 Cj 2505, Chácara Itaim
São Paulo, São Paulo
 

Administração de Empresas - Negociação

NeociaçãoA negociação pode ser definida como a relação que estabelecem duas ou mais pessoas a respeito de um assunto determinado, visando encontrar posições comuns e chegar a um acordo que seja vantajoso para todos.

A negociação inicia-se quando há diferenças entre as posições das partes.

Se estas posições fossem coincidentes não seria preciso negociar.

A negociação busca eliminar essas diferenças aproximando gradualmente as posições até chegar a um ponto aceitável para todos.

Para começar uma negociação deve existir, também, interesse da parte dos envolvidos para tentar chegar a um acordo.

Seria suficiente se uma das partes não tivesse essa vontade de entendimento para que não se produzisse a negociação.

Respeitar o outro é uma regra que deve presidir qualquer negociação em que os participantes queiram chegar a um acordo.

O oponente não deve ser considerado um inimigo que se deve vencer. Muito pelo contrário, é preciso vê-lo como um colaborador com quem tentaremos trabalhar visando eliminar as diferenças existentes e chegar a um acordo aceitável.

É preciso ter bem claro que quando se negocia não enfrentamos às pessoas e sim os problemas. É preciso buscar um acordo que satisfaça as necessidades de todos os envolvidos.

Contudo, esta regra fundamental é freqüentemente desrespeitada e a negociação vira uma luta encarniçada em que cada parte tenta impor sua vontade para obter o maior lucro à custa do oponente.

Neste caso, as possibilidades de chegar a um acordo se reduzem significativamente e, caso se consiga um convênio, aparecem alguns riscos:

Que a parte perdedora não cumpra depois o acordado.

Que a parte perdedora cumpra o acordado, mas que não esteja disposta a negociar nunca mais com quem lhe venceu, o que faria impossível o estabelecimento de relações econômicas duradouras.

Em definitivo, deve tentar-se chegar a uma solução equitativa que inclua os pontos de vista e interesses de todos os envolvidos.

Desta maneira, todos eles considerarão o acordo como algo próprio e não como uma solução imposta.
Aliás, todos sairão satisfeitos da negociação e com a intenção de cumprir com o combinado e com interesse em manter essa relação profissional que tem resultado tão vantajosa.

É possível que esta maneira de entender a negociação baseada na cooperação não seja compartilhada pela outra parte e que ela tente impor seu estilo particular baseado na confrontação.

Nesse caso não devemos fazer o mesmo jogo do oponente. Muito pelo contrário, devemos continuar buscando a colaboração e tentar convencer a outra parte das vantagens deste tipo de negociação.

Traduzido por Navil García Alfonso
e-mail: navil_garcia@yahoo.com

Referência: http://www.aulafacil.com/Tecneg/Lecc-1.htm

Clique aqui para ler este artigo na Sua Mente